quinta-feira, 9 de junho de 2011

EXISTE VALORIZAÇÃO PARA O TEATRO DE RUA?

Aqui explanarei apenas uma parte do contexto que engloba uma "Ética dos Novos Tempo". O Ator de rua Henrique Gonzaga, retorna a uma participação com  o - Fortaleza Cultural – Para que possamos focar de forma discursiva o assunto do trabalho desenvolvido pelo Grupo - Nois do Teatro.

Em uma conversa sobre alguns levantamentos de dados dentre as 87 favelas existentes em Fortaleza, percebe-se que  muitos outros Grupos atuam e lutam com a saída do anonimato para gerar competência, no que diz respeito as conquistas que se exigem, para que dessa forma venha a facilitar o desenvolver na aceitação exigida nos Órgão e Entidades que dão subsídio aos trabalhos acontecerem.

Há aproximadamente 3 anos, o Grupo Nois do Teatro desenvolviam trabalhos de rua sem nenhum retorno financeiro. Atualmente já conseguem um Capital Financeiro que garante o mínimo para que o Grupo tenha uma continuidade.

O amor pelo Teatro, e o desenvolvimento no qual exige um esforço físico, temporal e emocional, gera um gasto de energia tão elevado que nem sempre é incentivador para quem participa, o que faz muitos abandonarem esse ofício. A sobrevivência  além do desenvolvimento Teatral, acarreta custos financeiros dos que mesmo fazendo parte de - Projetos Aprovados -  por Órgãos e Entidades, gera um lucro tão pequeno que segundo Henrique Gonzaga: “Nem participando de 20 peças mensais, daria para me sustentar em um mês”.

É justo, termos projetos que incentivam o desenvolvimento sustentável em todas as suas dimensões: ambiental, econômica, social, política e cultural, sem nenhum maior apoio a tais participantes?


O que será da continuidade futura de tais trabalhos com o andamento e valores que se dão nos dias atuais? E como se dará o desenvolvimento humano baseado no aprofundamento da qualidade das relações das pessoas consigo mesmas e com as outras pessoas nos planos das interações interpessoais e sociais mais amplas? E no plano das relações com o ambiente natural e social em que se vive? E ainda, no plano do relacionamento com as fontes de significado e de sentido da existência humana? O Teatro amplia o desenvolvimento do melhor meio para a sobrevivência Humana onde gera crenças, princípios e valores. Vamos lutar por essa idéia de valorização aos que se dedicam a tal ofício.

Vinculação direta ao Link:

FICHA TÉCNICA:
Matéria: Jane Eyre Queiroz
Colaborador: Henrique Gonzaga
Imagens: Duda Lemos

Nenhum comentário:

Postar um comentário